4.8
(15)
nbr 9077

A Norma da ABNT, a NBR 9077, regulamenta todas as saídas de emergência em edifícios.

É de extrema importância a aplicação das normas de forma consistente, evitando ao máximo o risco de acidentes e garantindo evacuações rápidas e seguras em caso de emergências.

Os sistemas prediais de segurança tem evoluído cada vez mais, mas muitas vezes o desconhecimento das normas padrões dificulta o trabalho do Corpo de Bombeiros e causa situações facilmente evitáveis.

Procurando trazer mais segurança, algumas normas padrão foram estabelecidas para construções verticais. Veja abaixo!

Escada Convencional

O que é popularmente sabido é que, em caso de incêndio ou qualquer tipo de emergência, as escadas são o meio mais seguro de fuga e evacuação rápida.

Elevadores jamais devem ser usados. As escadas convencionais dos prédios devem atender à requisitos mínimos, tais como:

  • Degraus com altura máxima de 17cm e profundidade mínima de 28cm, para assegurar que não haja risco de queda;
  • Lances sempre retilíneos e piso antiderrapante;
  • Corrimãos são obrigatórios;
  • As portas abertas não podem diminuir a largura mínima da escada – que é de 1,6m para hospitais e 1,2m nas demais edificações;
  • Em edifícios residenciais, uma distância máxima a ser percorrida de 15m e em edificações comerciais no máximo 25m;
  • Altura entre patamares de, no máximo, 2,7m.

Escada protegida

Para edificações entre 15 e 60m de altura, a escada protegida é a opção que conta com resistência de até quatro horas de fogo em suas paredes laterais, mas que não possuem duto de ventilação.

De acordo com a NBR 9077, além das normas válidas para escadas convencionais, as escadas protegidas ainda contam com suas regras específicas:

  • Além, claro, das paredes revestidas com material capaz de aguentar 4h de fogo (as portas devem capazes de aguentar, no mínimo, 90 minutos), as escadas protegidas não podem ser utilizadas para armazenamento de materiais ou equipamentos;
  • É necessária iluminação de emergência por toda a extensão da escada, com autonomia em caso de interrupção da energia elétrica;
  • As portas devem abrir para fora, facilitando a evacuação;
  • É proibido contar com qualquer abertura para tubulação de gás, lixo, telefone ou qualquer instalação ou serviço;
  • As portas não precisam contar com material corta-fogo e podem ficar trancadas, se a chave estiver em local próximo e acessível, com “EM CASO DE EMERGÊNCIA, QUEBRE O VIDRO” assinalado;
  • Se a área por pavimento for superior a 500m², é necessária mais de uma escada para rota de fuga;
  • As sinalizações de acesso e identificação de andares devem atender à outra norma, a NBR 13434 e às instruções técnicas do Corpo de Bombeiros.

Escada enclausurada

A NBR 9077 determina que para edificações superiores a 60m de altura, as escadas deverão ser enclausuradas, ou seja, protegidas contra fumaça, resistentes às chamas por, no mínimo, 4 horas e possuir antecâmaras de entrada e saída de ar com integração ao sistema externo de ventilação. Suas especificações individuais são:

  • Todos os pavimentos úteis da edificação devem possuir acesso pelas escadas;
  • As antecâmaras são obrigatórias, possibilitando a dissipação da fumaça;
  • As portas de acesso devem possuir material corta-fogo, que garanta resistência à chamas de, no mínimo, sessenta minutos.

Adendos

Fora as regulamentações de escadas, a NBR 9077 ainda conta com normatizações de sinalização, medidas mínimas de largura e comprimento de portas de acesso, número necessário de rotas de evacuação, lista de materiais obrigatórios como luzes de emergência independentes e muitos outros.

Antes de começar a construir ou adquirir um imóvel em edificações, é fundamental se certificar do uso correto da NBR 9077 para uma habitação segura e tranquila.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 15

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Você tem alguma dúvida ou precisa de nossos serviços?

Fale conosco!
Olá! Como podemos ajudar?