5
(5)
quem forma a brigada de indendio

Você conhece as normas exigidas para estabelecimentos comerciais ou edifícios com relação a saídas de emergência?

Mas antes falaremos um pouco sobre as saídas de emergência.

Saídas de emergência – O que são?

No Brasil ainda existe muita confusão sobre o que seria uma saída de emergência e também comparação com apenas uma porta especial, mas é muito mais que isso.

A NBR 9077 da ABNT define que saída de emergência é um caminho contínuo, corretamente protegido, que deve ser percorrido pelo usuário da edificação (no caso de sinistro ou incêndio) até que se atinja via pública ou algum espaço aberto que esteja protegido do incidente.

Saídas de emergências são exigidas à toda edificação, local de risco ou instalações, ou seja, todo prédio que é utilizado por pessoas tem com obrigação possuir uma forma mais fácil de evacuação de pessoas em segurança.

A saída de emergência é a estrutura que vai possibilitar a evacuação imediata de usuários em situação de emergência e também permitir o acesso das brigadas de emergência e/ou corpo de bombeiros.

Rota de fuga também é um termo muito utilizado por profissionais de segurança, por serem caminhos possíveis para uma saída planejada e segura de um prédio. Precisa ser iluminada, sinalizada e sem impedimentos que possam atrapalhar a evacuação.

De acordo com a Norma NBR 9077 da ABNT, as demais edificações dever possuir saídas de emergência: serviço de hospedagem, residencial, varejista, comercial, serviços profissionais, serviços pessoais, serviços técnicos, locais de reunião, prédios educativos, serviços de saúde, serviços automotivos, depósitos, comércio de alto risco e indústrias.

Tipos de saídas de emergência

Podem ser escadas, passagens externas, portas, balcões, rampas e corredores, ou uma combinação de alguns desses itens.

No caso de edificações verticais, as saídas são compostas por escadas que podem ser enclausuradas, não enclausuradas, enclausurada à prova de fumaça, protegida e enclausurada pressurizada também à prova de fumaça. Independente do tipo utilizado, precisam ser de material não combustível e também resistente ao fogo.

Quantidade de saídas de emergência

Essa quantidade varia de acordo com a edificação, sua capacidade de ocupação e outros fatores e o mais importante, é que seja respeitada a legislação vigente do local.

Barra Antipânico

A NBR 907 e legislação estaduais regulam os locais que devem ser usadas as barras antipânico em portas de emergência. Pode ser definida como uma “fechadura” e que é instalada normalmente, na parte interna das portas. Funcionam por acionamento por pressão através de uma barra horizontal que pode ser de diferentes materiais. Com a barra antipânico, a saída das pessoas de locais fica facilitada, trazendo com isso mais segurança.

Normas

O objetivo da legislação é estabelecer os requisitos necessários para o dimensionamento das emergências, e assim, facilitar que a população abandone a edificação, no caso de pânico ou incêndio, protegendo sua integridade física e permitindo a entrada dos bombeiros ao local para o combate ao fogo.

Normas de saídas de emergência são importantes para todo projeto de combate a incêndios e, podemos falar tudo tem como missão salvar vidas e patrimônios. E para que tudo ocorra como planejado, o dimensionamento de emergência é o elemento número 1 dessa missão. Sempre importante entender que estamos falando de garantir a segurança e a vida de pessoas.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Você tem alguma dúvida ou precisa de nossos serviços?

Fale conosco!
Olá! Como podemos ajudar?